Destaque

CAU Educa levará educação urbana e ambiental para as escolas do ensino fundamental

O CAU Educa, desenvolvido pela Comissão de Política Urbana e Ambiental (CPUA) do CAU/BR, foi lançado dia 4 de dezembro, durante a III Conferência Nacional de Arquitetura e Urbanismo – evento virtual promovido pelo CAU/BR até 15 de dezembro. Um projeto de educação continuada a longo prazo, o CAU Educa pretende promover entre crianças do Ensino Fundamental a construção de uma consciência urbana e ambiental e será efetivado por meio de um Concurso Público Nacional.

Foto: André Jensen/Pistache Editorial

Clique aqui para acessar hotsite com a íntegra do edital do concurso, que selecionará e premiará as melhores propostas, executadas ou não, de ações de valorização da Arquitetura e Urbanismo, focadas nos anos iniciais de escolaridade do cidadão. A ideia é que tais propostas se tornem referências em educação sobre Arquitetura e Urbanismo nas escolas brasileiras.

O CAU Educa desenvolveu uma metodologia e os formatos de materiais paradidáticos sobre Educação Urbanística para crianças. Longe de formar “pequenos arquitetos e urbanistas”, o projeto levará para as escolas ações para despertar o olhar crítico das crianças sobres as cidades onde vivem. Na apresentação dos princípios e objetivos do projeto, a coordenadora da CPUA, Josélia da Silva Alves, destacou que a criação do CAU Educa partiu da constatação de que “haveria e ainda há, uma grande distância entre a sociedade e a Arquitetura e Urbanismo, que esta não faz parte da educação formal e os próprios arquitetos têm dificuldade de estabelecer uma linguagem para se comunicar com a sociedade”. Também foi determinante, segundo ela, o fato de que a população necessita se familiarizar e se conscientizar sobre as questões urbanas. “Nós, arquitetos e urbanistas, devemos aprender a ouvir a cidade e a sociedade”, ressaltou.

O CAU/BR, ao instituir o projeto e no cumprimento das suas funções, entrega para a sociedade um instrumento de transformação social, segundo o coordenador adjunto da CPUA, Ednezer Rodrigues Flores. Para ele, uma sociedade para exercer sua plena cidadania de alguma forma tem que ter uma educação e uma formação cultural de qualidade e preocupadas com as futuras gerações.

O CAU Educa “contribuirá para a formação de futuros cidadãos engajados em iniciativas em prol de cidades mais justas e humanas”, justifica a arquiteta e urbanista Simone Sayegh, do Projeto Casacadabra, que apoiou e prestou consultoria especializada ao CAU no delineamento dos objetivos do CAU Educa.

Foto: André Jensen/ Pistache Digital

O concurso público será realizado em duas modalidades: Ações de “Arquiteto e Urbanista na Escola”, que se relaciona a práticas desenvolvidas no ambiente escolar por arquitetos e urbanistas. Estes profissionais deverão propor ações que levem meninos e meninas a entenderem como as cidades se formam e se transformam, incentivando o espírito crítico e participativo.

A segunda modalidade são Práticas Pedagógicas de Educação Urbanística desenvolvidas por professores, pedagogos e escolas. O desafio deste público será propor materiais paradidáticos, bem como práticas pedagógicas que levem em conta a transversalidade sobre a consciência urbana e ambiental por diversas disciplinas.

O concurso foi estruturado a partir de uma metodologia que incluiu pesquisa com crianças, professores e profissionais da comunidade escolar e estudos de casos. Também agregou o estudo da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que define o conjunto de diretrizes essenciais que todos os alunos devem desenvolver ao longo das etapas e modalidades da Educação Básica, para que tenham seus direitos de aprendizagem e desenvolvimento assegurados, de acordo com o Plano Nacional de Educação (PNE).

Foto: Pistache Editorial

Para construir o CAU Educa, a CPUA identificou, ainda, que disciplinas do Ensino Fundamental, dos anos iniciais e finais, podem, de forma direta ou transversal, servir de meio para a aprendizagem de temas como moradia (espraiamento das cidades/gentrificação); conforto ambiental (ventilação, iluminação, acústica); saneamento básico (lixo, esgoto, água, drenagem), entre outros.

Nesse contexto, o concurso pretende abordar os temas, escalas e conceitos definidos na proposta: Temas: habitação, saneamento, patrimônio, mobilidade e paisagem. Escalas: habitat (espaço privado); território (espaço público) e Conceitos transversais: cidadania e diversidade.

Foto: Pistache Editorial

O concurso também considera importantes Objetivos do Desenvolvimento Sustentável como assegurar uma vida saudável e promover o bem-estar para todos, em todas as idades; assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos; alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas; assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos; assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos; reduzir a desigualdade dentro dos países e entre eles; e tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis.

 

 

O valor total dos prêmios do concurso é de R$ 40.500 (quarenta mil e quinhentos reais), que serão distribuídos da seguinte forma: 15 (quinze) Práticas Pedagógicas com o valor de R$ 1.500,00 (mil e quinhentos reais) cada, totalizando R$ 22.500,00 (vinte e dois mil e quinhentos reais); 6 (seis) Ações de “Arquiteto e Urbanista na Escola”, com valor de R$ 3.000,00 (três mil reais) cada, totalizando R$ 18.000,00 (dezoito mil reais).

As inscrições para o concurso público nacional do CAU Educa estarão abertas de 15 a 29 de março de 2021, e poderão ser realizadas no hotsite.

Confira a apresentação do projeto CAU EDUCA

Acesse aqui, o Edital do Concurso.

Fonte: CAU/BR

OUTRAS NOTÍCIAS

Confira retrospectiva com as principais ações do Conselho em 2023

Confira o funcionamento do CAU/GO neste final de ano

Homologação do concurso público do CAU/GO é publicada