Notícias CAU/GO

Live “Pequenos Escritórios: boas práticas em tempo de pandemia” – confira trechos

Conduzido pela conselheira do CAU/GO, Janaína de Holanda, o primeiro bate-papo online do Conselho – que seria uma live, mas acabou sendo gravado – abordou o tema “Pequenos Escritórios – boas práticas em tempo de pandemia”. A convidada para esse encontro foi a arquiteta e urbanista Ana Carolina Costa Roriz, que é graduada pela PUC Goiás e possui pós-graduação em design de interiores. Atualmente ela é sócia de um escritório de arquitetura em Goiânia.

A transmissão está disponível na página do Instagram.
Clique e assista na íntegra.

Veja abaixo os principais pontos abordados no bate-papo:

Quarentena e os pequenos escritórios

“A primeira decisão foi aderir ao home office, respeitando o decreto, mas principalmente pensando na saúde dos colaboradores. Atualmente eu e minha sócia estamos trabalhando no escritório, mas nossas colaboradoras estão em regime remoto. Antes disso, analisamos todo o cronograma para avaliar qual seria a melhor solução. Entramos em contato com alguns clientes e explicamos a situação, informamos que nos adaptaríamos a esse novo formato.”

Impacto e planejamento financeiro
“Tivemos um planejamento anterior, começamos a juntar dinheiro. A gente sabe que o ideal é você ter pelo menos o equivalente a seis meses dos seus custos, chegamos perto disso, mas nunca esperamos que usaríamos esse ano, ainda mais nessa situação e não sabemos quanto tempo vai durar. Ainda conseguimos manter os pagamentos do escritório em dia, assim a gente consegue também ser parceiro do nosso cliente e dar um prazo maior de pagamento. Então da mesma forma que eles conseguiram ser compreensivos com a gente quando não conseguimos entregar alguma coisa por conta dessa situação, nós também conseguimos ser compreensivas com eles por conta dessa reserva financeira. E mesmo tendo essa reserva, estamos enxugando nossos gastos, pois como disse, não sabemos quanto tempo essa situação durará. O planejamento prévio antes de qualquer crise é fundamental.”

Diferenças no atendimento presencial e remoto – acompanhamento de obras
“O gerenciamento e administração das obras tem sido feita por vídeos e chamadas. Os pedreiros me mandam e eu avalio daqui. Usamos aplicativos e ferramentas, pois é possível acompanhar a obra sem ir no local. Recentemente foi necessário visitar uma obra, mas fomos de máscara e toda equipe também estava, pois a segurança sempre deve vir em primeiro lugar.”

Perspectivas pós-pandemia
“Acho que o home office tem mostrado e as pessoas tem observado mais as suas casas, e será necessário adaptar esses ambientes (transformar os espaços) para trabalho, lazer e convivência familiar, o que pode ser uma oportunidade de mercado. Aqui no escritório temos utilizado mais as mídias sociais, colocando em prática projetos que estavam ‘engavetados’ e buscando estratégias. O período é de adaptação, mas vamos passar por essa pandemia.”

OUTRAS NOTÍCIAS

Conselho acompanha lançamento do novo sistema de análise e aprovação de projetos da Prefeitura

SOS RS: CAU/GO convida arquitetos(as) e urbanistas a se unirem em corrente de donativos

Projeto Centraliza: CAU/GO envia contribuições para a Câmara